FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA DE DIVULGAÇÃO CULTURAL E CIENTÍFICA SEM FINS LUCRATIVOS
(TODAS AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NAS PUBLICAÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DE QUEM NOS ENVIA GENTILMENTE PARA DIVULGAÇÃO).

quarta-feira, 18 de julho de 2018

2º Fórum de Educação Executiva reúne gestores públicos e privados em Brasília

A FGV realiza, de 16 de julho a 8 de agosto, o 2º Fórum de Educação Executiva em Brasília. Ao longo de sete encontros, professores, executivos de grandes empresas e autoridades vão debater temas atuais e relevantes para gestores do poder público e da iniciativa privada, como previdência complementar, relações internacionais, agronegócio, gestão em saúde, transformação digital, reforma trabalhista e inovação.
O primeiro dia do Fórum será dedicado ao debate sobre “Previdência Complementar do servidor público: migrar ou não?”. A proposta é debater a relação entre a atual situação fiscal e os regimes próprios de previdência complementar, as possíveis mudanças caso seja aprovada a reforma da previdência, além de explicar o funcionamento da Funpresp. Participam da mesa o coordenador do MBA em Previdência Complementar da FGV Educação Executiva, Gilvan Cândido, a advogada especialista em Direito Previdenciário, Thais Maria Riedel, e o diretor da Funpresp-EXE, Arnaldo Lima.
Já no dia 23 de julho será realizado o “Painel de Carreiras em Relações Internacionais”. O encontro vai reunir o Coordenador do MBA em Relações Internacionais da FGV, professor Oliver Stuenkel, o coordenador de comunicação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Luciano Milhomem, e a doutora em relações internacionais, professora Rosana Tomazini. Os especialistas vão compartilhar suas trajetórias, experiências e aprendizados, ressaltando quais devem ser as principais habilidades do profissional da área e discutindo tendências e padrões no campo de RI.
O terceiro dia de Fórum, no dia 24 de julho, será voltado para o debate sobre as “Tendências do Agronegócio”. O tema será abordado pelo coordenador dos MBAs em Agronegócios da FGV, professor Fabio Matuoka Mizumoto, que vai falar sobre as novas oportunidades do setor, a chamada revolução 4.0 em tecnologia e o novo papel dos profissionais do agronegócio.
Com o propósito de apresentar conceitos que estruturam a gestão da experiência do paciente e o repertório que o profissional da área da saúde deve possuir para desempenhar com êxito essa desafiadora entrega, o fórum terá sequência no dia 31 de julho. A coordenadora do MBA em Gestão em Saúde, Adriana André, e o professor Daniel Luiz serão os responsáveis por abordar o assunto.
Já no dia 1º de agosto o Fórum fala sobre os impactos da “Transformação Digital”. O tema será abordado pelo coordenador do MBA em Marketing Digital, André Miceli, que vai falar sobre como executivos podem inovar e adaptar suas estratégias e modelos de negócios a fim de que suas organizações prosperarem nesta nova era digital.
reforma trabalhista será o tema do penúltimo dia de evento, em 7 de agosto. A professora Mônica Gusmão fala sobre os reflexos desta reforma no Direito Societário a partir do viés econômico, da responsabilidade dos sócios e a teoria da desconsideração da personalidade jurídica e sobre aspectos envolvendo a terceirização. O encerramento do Fórum de Educação Executiva está marcado para o dia 8, quando o professor Paulo N. Figueiredo fala sobre “Inovação: Desempenho Competitivo e Crescimento de Organizações”.
Todas as palestras têm início às 19h30 e são gratuitas. O número de participantes é limitado à quantidade de lugares disponíveis no auditório da FGV Brasília. Para mais informações e inscrições, acesse o site.

Estudo sobre relações de confiança nas organizações é finalista de prêmio internacional

O simpósio em que participam os professores da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (FGV EBAPE), Marco Tulio Zanini e Carmen Migueles, foi indicado para o prêmio “Emerald Best International Symposium at Academy of Management (AOM) 2018”. A conferência anual, no qual serão conhecidos os vencedores, será realizada entre 10 e 14 de agosto, em Chicago (EUA).
A pesquisa que os professores vão apresentar no simpósio durante a conferência é fruto de um estudo longitudinal, que ocorre desde 2004, analisando o desenvolvimento das relações de confiança nas organizações brasileiras.
“A análise da cultura e das relações de confiança nas organizações é um fator crítico para a produtividade e competitividade dos países”, destacam os professores.
O Congresso Anual do Academy of Management é considerado um dos eventos mais importantes do mundo na área de Administração. Todos os anos um simpósio é escolhido para ganhar o prêmio.
Para mais informações sobre o Congresso, acesse o site.

Semana de Educação Executiva da FGV traz palestras gratuitas em São Paulo

A Fundação Getulio Vargas realiza em São Paulo, de 23 a 27 de julho, a sexta edição da “Semana de Educação Executiva”, com 12 palestras gratuitas de grandes nomes do mercado sobre os seguintes temas: Big Data Analytics; O perfil do novo profissional de Relações Governamentais que o mercado busca; Gestão da Mudança – Aspectos Comportamentais e Emocionais; Como Traduzir uma Estratégia Global na Realidade Local e Nacional; A Importância da Medicina Baseada em Evidência para Gestão de Clínicas e Hospitais;  Inteligência Emocional: como liderar você mesmo e a equipe; A exclusão dos benefícios fiscais do ICMS das bases de cálculo do Imposto de Renda; Fake News; Como alavancar sua carreira, criando mais valor para sua empresa; Democracia Internacional; e Planejamento Tributário como Ferramenta de Gestão de Valor para Profissionais de Finanças.
As palestras ocorrem a partir das 19h, na Unidade da FGV localizada na Rua Itapeva, 432 e contam com a presença de Eduardo RamalhoRaul Cury NetoTauan Mendonça, Guilherme Maciel, Bruno Perman, Edmarson Barcelar Mota, Marcos Gaio, Fábio Ferreira de Carvalho Junior, Joceli Drummond, Renato Nunes, Salomão Fridman, Douglas Silveira, Paula Miraglia, Antonio André, José Henrique Bortoluci e Renan Santos.
Para participar, os interessados devem se inscrever pelo site. Vale ressaltar que as vagas são limitadas, por ordem de chegada, e o espaço é sujeito a lotação.

Aula aberta fala sobre startups, venture capital e private equity

O FGV Law Program da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) realiza, no dia 19 de julho, às 19h, a aula aberta sobre “Startups, Venture Capital e Private Equity”, com o professor Caio Ramalho. O evento será realizado no auditório da FGV Candelária (Rua da Candelária, 6. Centro, Rio de Janeiro/RJ).
O tema integra o “LL.M em Direito: Negócios”, que tem o objetivo de desenvolver competências e estimular reflexões em temáticas jurídicas relacionadas ao ambiente de negócios por meio de uma abordagem interdisciplinar e contemporânea. Na ocasião será possível experimentar a metodologia aplicada e conhecer toda a infraestrutura disponível para os alunos.
Caio Ramalho é doutorando em Finanças pela PUC-RJ, mestre em Finanças pela FGV, com especialização em Análise de Investimentos pela PUC-RJ e bacharel em Administração de Empresas pela UFRJ. Desde 2007 é pesquisador do FGVcepe – Centro de Estudos em Private Equity e Venture Capital da FGV, onde liderou importantes projetos de pesquisa na indústria. Organizador e coautor de dois livros sobre Private Equity & Venture Capital no Brasil. Mentor de startups e empreendedores no programa InovAtiva Brasil do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
Para mais informações e inscrições, acesse o site.

José Patrício inaugura exposição inédita em Brasília

‘Precisão e Acaso’ tem curadoria de Felipe Scovino e abre na quinta (19/7) no Museu Nacional

O pernambucano José Patrício traz a Brasília sua nova exposição, Precisão e Acaso. Com curadoria de Felipe Scovino, a mostra reúne um conjunto de cerca de 40 obras produzidas nos últimos sete anos, além de trabalhos do início de sua carreira nunca antes exibidos. A inauguração acontece na quinta (19/7), a partir das 19h, e todos são bem-vindos.

Com uma produção marcada pelo lúdico, Patrício utiliza materiais diversos, desde botões, peças de quebra-cabeças e dados, passando por alfinetes, fios de eletricidade e de telefonia. A partir de componentes frequentemente fadados a desaparecer, alinhava ressignificados. “Trata-se da apropriação de elementos modulares encontrados na vida cotidiana. Interessam-me na medida em que contribuem para compor as obras a partir da acumulação, deslocamento das funções originais e inserção no contexto da arte”, diz o artista.

Para Felipe Scovino, Precisão e Acaso pode ser compreendida como uma espécie de antologia. “A mostra traz  ao público as fases mais recentes da produção do artista; o seu interesse por novos materiais; suas pesquisas cromáticas e cinéticas. Estão entre as características centrais da obra a ampliação do termo construtivo, o caráter lúdico e participativo e a ideia de coleção ou arquivo de materiais cada vez mais difíceis de serem encontrado”, explica o curador.

Os conceitos de diferença e repetição conduzem os trabalhos realizados nos últimos anos, nos quais Patrício cria estruturas fixas que se tornam passíveis de variação formal a partir dos elementos que as compõem e das inúmeras possibilidades de configuração. Para criá-las, o artista partiu de regras e métodos adotados como precisão a fim de atingir um resultado final desconhecido. Precisão e Acaso resume o caminho entre esses dois polos aparentemente antagônicos. “O trabalho se faz pela qualidade em ser dinâmico, veloz e mutante. A obra é, portanto, um acontecimento em que estamos constantemente envolvidos por escolhas, caminhos, formas e cores que induzem movimentos, traços, rumos e territórios”, diz Scovino.

O ARTISTA

José Patrício nasceu no Recife, em 1960. Estudou ciências sociais na Universidade Federal de Pernambuco e é Mestre em Artes Visuais pela mesma instituição. Já expôs em países como Alemanha, França, Estados Unidos e Cuba, entre outros. Seus trabalhos integram coleções de instituições como Fondation Cartier pour L’Art Contemporain (Paris),
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Recife), Museu de Arte de Brasília,
Coleção Marcantonio Vilaça, Museu de Arte Moderna (Rio de Janeiro),
Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo) e Washington Convention Center (EUA).

SERVIÇO
Precisão e Acaso  - exposição de José Patrício
Inauguração: 19/7/18 (quinta-feira), às 19h
Visitação (entrada franca): até 26 de agosto (terça a domingo, de 9h às 18h30)
Classificação etária: livre
OndeMuseu Nacional do Conjunto Cultural da República/ Galeria Acervo
(Setor Cultural Sul, Lote 2)
Informações: (061) 3325 5220 e 3325 6410 / museunacional@gmail.com

Z 42 Arte inaugura exposição Costas de Vidro - fotografias de Edu Monteiro

Z42 Arte inaugura exposição Costas de Vidro - fotografias de Edu Monteiro
Dia 30 de julho, 19h
Curadoria: Roberto Conduru
Entrada Franca

Descrição: Descrição: Descrição: E:\COSTAS DE VIDRO  EDU\Foto1_Costas_de_Vidro.jpg

“Querendo, pode-se ouvir a marola do mar, uma suave brisa, o roçar da pele na madeira. E mais, pois a foto ressoa além do visível.
É um navio negreiro. Não! É um corpo síntese, índice de milhões de pessoas, tanto das que sucumbiram ao tráfico negreiro quanto das que sobreviveram, vivenciaram e venceram a escravidão”.Roberto Conduru

Primeiro é preciso explicar o título da exposição e como o premiadíssimo fotógrafo Edu Monteiro descobriu e fotografou após quatro anos de investigações e três viagens à Martinica, entre elas uma residência de seis meses em busca do universo mágico, esta dança de combate - uma luta entre o visível e o invisível nas encruzilhadas da diáspora africana - seus pesos e magias.

Costas de Vidro é uma expressão utilizada pelos lutadores da Ladja – uma dança de combate praticada exclusivamente na ilha da Martinica, no Caribe, que lembra bastante a capoeira em alguns aspectos. O principal fundamento desta luta é o “ou wè`y ou pa wè`y” expressão em crioulo que significa: “vê mas não vê” e se refere à capacidade ilusionista dos golpes desta arte, que impossibilita a percepção visual do oponente diante do ataque - transformando o visível em invisível através do corpo. Nesta luta quem tem as costas de vidro não pode ser visto.Faz parte do FotoRio resiste.

Curadoria Roberto Conduru

Segundo o curador Roberto Conduru...”é simples a imagem com a qual Edu Monteiro apresenta Costas de Vidro. Nela, um homem afrodescendente parcialmente imerso na água segura um tambor. A tensão da pega parece visar menos a proteger o tambor do encontro com a água e mais a trazê-lo junto, conectá-lo a si. De tal modo que corpo humano e tambor tornam-se um a extensão do outro. Fazendo as vezes de tronco e cabeça, o tambor ultrapassa a condição de objeto. Dando braços e pernas ao artefato de madeira, ferro, sisal e couro, o homem amplia atributos e habilidades”.

Sobre o Fotógrafo

Edu Monteiro é fotógrafo, pesquisador e doutorando em Artes pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, mestre em Ciência da Arte pela Universidade Federal Fluminense – UFF (2013) e possui formação em Artes e história visual pelo museu Jeu de Paume em Paris (2017). Autor dos livros Autorretrato Sensorial (Pingadoprés, 2015) e Saturno (Azougue Editorial, 2014). Um recorte de Costas de Vidro foi exposto no China Art Museum, como uma das exposições integrantes do Shanghai International Photography Festival de 2017.

Onde!
Z42 Arte está localizado ao lado da subida do Cristo Redentor e se distingue de outros centros culturais. Construído nos anos 1930, o casarão conta com sete salas de exposições e sete ateliês, em que artistas representados pela Z42 Arte vão trabalhar diante do público. — A ideia é haver reciprocidade entre o artista e o público. “A arte é o nosso oxigênio e o seu processo de criação é lindo, tem vida. Queremos que o visitante crie uma sintonia com a construção das obras. Conheço poucos lugares do mundo com essa proposta” afirma o diretor Eduardo Lopes.

Serviço
Costas de Vidro – exposição de fotografias de Edu Monteiro
Curadoria: Roberto Conduru
Data de abertura: 30 de julho de 2018 – 19 horas
Livre
Até dia 21de agosto
Entrada franca

quinta-feira, 12 de julho de 2018

2º Fórum de Educação Executiva reúne gestores públicos e privados em Brasília

A FGV realiza, de 16 de julho a 8 de agosto, o 2º Fórum de Educação Executiva em Brasília. Ao longo de sete encontros, professores, executivos de grandes empresas e autoridades vão debater temas atuais e relevantes para gestores do poder público e da iniciativa privada, como previdência complementar, relações internacionais, agronegócio, gestão em saúde, transformação digital, reforma trabalhista e inovação.
O primeiro dia do Fórum será dedicado ao debate sobre “Previdência Complementar do servidor público: migrar ou não?”. A proposta é debater a relação entre a atual situação fiscal e os regimes próprios de previdência complementar, as possíveis mudanças caso seja aprovada a reforma da previdência, além de explicar o funcionamento da Funpresp. Participam da mesa o coordenador do MBA em Previdência Complementar da FGV Educação Executiva, Gilvan Cândido, a advogada especialista em Direito Previdenciário, Thais Maria Riedel, e o diretor da Funpresp-EXE, Arnaldo Lima.
Já no dia 23 de julho será realizado o “Painel de Carreiras em Relações Internacionais”. O encontro vai reunir o Coordenador do MBA em Relações Internacionais da FGV, professor Oliver Stuenkel, o coordenador de comunicação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Luciano Milhomem, e a doutora em relações internacionais, professora Rosana Tomazini. Os especialistas vão compartilhar suas trajetórias, experiências e aprendizados, ressaltando quais devem ser as principais habilidades do profissional da área e discutindo tendências e padrões no campo de RI.
O terceiro dia de Fórum, no dia 24 de julho, será voltado para o debate sobre as “Tendências do Agronegócio”. O tema será abordado pelo coordenador dos MBAs em Agronegócios da FGV, professor Fabio Matuoka Mizumoto, que vai falar sobre as novas oportunidades do setor, a chamada revolução 4.0 em tecnologia e o novo papel dos profissionais do agronegócio.
Com o propósito de apresentar conceitos que estruturam a gestão da experiência do paciente e o repertório que o profissional da área da saúde deve possuir para desempenhar com êxito essa desafiadora entrega, o fórum terá sequência no dia 31 de julho. A coordenadora do MBA em Gestão em Saúde, Adriana André, e o professor Daniel Luiz serão os responsáveis por abordar o assunto.
Já no dia 1º de agosto o Fórum fala sobre os impactos da “Transformação Digital”. O tema será abordado pelo coordenador do MBA em Marketing Digital, André Miceli, que vai falar sobre como executivos podem inovar e adaptar suas estratégias e modelos de negócios a fim de que suas organizações prosperarem nesta nova era digital.
reforma trabalhista será o tema do penúltimo dia de evento, em 7 de agosto. A professora Mônica Gusmão fala sobre os reflexos desta reforma no Direito Societário a partir do viés econômico, da responsabilidade dos sócios e a teoria da desconsideração da personalidade jurídica e sobre aspectos envolvendo a terceirização. O encerramento do Fórum de Educação Executiva está marcado para o dia 8, quando o professor Paulo N. Figueiredo fala sobre “Inovação: Desempenho Competitivo e Crescimento de Organizações”.
Todas as palestras têm início às 19h e são gratuitas. O número de participantes é limitado à quantidade de lugares disponíveis no auditório da FGV Brasília. Para mais informações e inscrições, acesse o site.