FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

sábado, 18 de março de 2017

CRPHF participa de atividades para marcar luta contra a tuberculose

 O Centro de Referência Professor Hélio Fraga - instituição nacional de referência do SUS para a tuberculose e outras pneumopatias - realizará uma semana de mobilização e atividades para marcar o Dia Mundial da TB. A programação conta com palestra, apresentações, exposição e até uma intervenção artística. Mesmo tendo tratamento gratuito em toda a rede pública do Brasil, a tuberculose ainda mata milhares de pessoas por ano. Portanto, é preciso colocar a questão em pauta, falar sobre o tema, debater as formas de tratamento e enfrentamento do estigma e, acima de tudo, sensibilizar os profissionais de saúde e a população. Entre as ações previstas para essa semana também estão a iluminação do Castelo da Fiocruz, de 20 a 27 de março, e da estátua do Cristo Redentor, no dia 24 de março, quando é celebrado o Dia Mundial da Tuberculose. Confira a programação e participe! 
No dia 21 de março acontecerá uma mobilização voltada para os profissionais de saúde que atuam no Centro de Referência. A partir das 9h acontecerá a apresentação do Programa de Saúde do Escolar de 2017, seguida de uma roda de conversa sobre a tuberculose e ainda o planejamento das ações de saúde. 
No dia 24 de março, a partir das 9h, no auditório do Centro de Referência Professor Hélio Fraga, haverá a divulgação do documento Unidos pelo fim da TB. Cada palavra conta: Linguagem e uso sugeridos para comunicações em Tuberculose – Stop TB Partnership/Unops, cuja tradução foi feita pelo pesquisador do CRPHF Pablo Dias Fortes. Às 10h acontecerá a palestra Saúde, linguagem e estigma, proferida pelo pesquisador da ENSP, Caco Xavier, que é filósofo e antropólogo. Em seguida será realizado um debate com o público. Durante toda a manhã Marcio Arte, grafiteiro, realizará uma intervenção no muro do Centro de Referência, que será inaugurada no mesmo dia. A intervenção tem o apoio da Asfoc.
Segundo Pablo, a atividade no Hélio Fraga tem o objetivo de promover o debate público em torno da importância do papel da linguagem e da comunicação em saúde no combate ao estigma sofrido pelas pessoas afetadas pela tuberculose.
O Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/Ensp/Fiocruz) fica localizado na Estrada de Curicica, nº2000 - Curicica, Rio de Janeiro. 
Ainda no dia 24 de março, o chefe do CRPHF, Otávio Porto, participará do debate público da Frente Parlamentar em Apoio ao Combate à Tuberculose fazendo uma exposição sobre o panorama global da doença. O convite foi feito pelo presidente da  Frente, o vereador Alexandre Arraes, e acontecerá no plenário da Câmara Municipal de Vereadores do Rio de Janeiro. 
Também na mesma data, a prefeitura municipal de Itaboraí vai realizar a ação Todos juntos pelo fim da tuberculose. Organizada pela Coordenação de Controle da TB, da Subsecretaria de Atenção Básica, da Secretaria Municipal de Saúde do município, a atividade inaugura no município a exposição itinerante do Museu da Vida (Fiocruz) Imagens da Peste Branca: Memória da tuberculose, que busca mostrar ao seu visitante como a tuberculose vem sendo tratada e pesquisada desde o século XX até os dias de hoje. Além de cartazes, fotografias, documentos e objetos da história da tuberculose, a mostra traz o cenário de um consultório médico dos anos 1930/40, quando a doença ainda era tratada através de cirurgias. A exposição retrata também o lado romântico da tuberculose, mostrando como era comum poetas e artistas escreverem sobre ela. 
A pesquisadora do CRPHF Gloria Regina Coelho da Motta vai realizar a fala inaugural da exposição. O evento em Itaboraí conta ainda com a apresentação da poesia Pneumotorax, de Manuel Bandeira, e da esquete teatral A peleja de Zeneide e Fortunato contra o terrível Beka, de Irene Leonore Goldschmidt, do Fundo Global Tuberculose Brasil, MS. 
Vale ressaltar que durante essa semana de mobilização, de 20 a 27 de março, o Castelo da Fiocruz ficará iluminado de vermelho, marcando a campanha. A iluminação do Castelo é de responsabilidade do Departamento de Patrimônio Histórico, da Casa de Oswaldo Cruz (DPH/COC/Fiocruz). Além do pavilhão Mourisco – nome oficial do Castelo da Fundação - a estátua do Cristo Redentor também será iluminado pela cor vermelha no Dia Mundial da TB: 24/3. A cor escolhida remonta à uma história secular. Em 1902, a Central Oficial para a Prevenção da Tuberculose foi estabelecida em Berlim, na Alemanha, e adotou como símbolo a Cruz de Lorena, que tem como representação gráfica uma cruz dupla vermelha. O símbolo foi proposto pelo médico francês Gilbert Sesiron com o objetivo de dar representação de cruzadas ao combate contra à tuberculose. No Brasil, a utilização da Cruz de Lorena como representação dessa luta pode ser vista a partir da segunda década do século XX, em cartazes desenhados pela Inspetoria de Profilaxia da Tuberculose, órgão subordinado ao Departamento Nacional de Saúde, criado em 1920 pelo governo federal.