FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

domingo, 30 de julho de 2017

Cátedra Jean Monnet participa do lançamento da Cátedra Bélgica-Brasil

No 06 de julho, ocorreu o lançamento da Cátedra Bélgica-Brasil, iniciativa da Universidade Livre de Bruxelas (ULB). O lançamento, realizado na residência do cônsul-geral da Bélgica, foi precedido por três palestras sobre o tema “A Europa e o Brasil em um mundo em mudança”.
A Escola de Direito do Rio de Janeiro da FGV (Direito Rio) participou do evento em razão da parceria firmada entre a ULB e a Cátedra Jean Monnet, financiada pela Comissão Europeia e coordenada pela professora Paula Wojcikiewicz Almeida.
Renomados professores da ULB, no âmbito da Cátedra Jean Monnet da Direito Rio, ministrarão cursos e participarão de projetos de pesquisa da Cátedra Bélgica-Brasil com o objetivo de formar universitários brasileiros à complexidade da União Europeia, como as professoras da ULB Anne Weyembergh, Ramona Coman, Emmanuelle Bribosia, Isabelle Rorive e Erik Van den Haute.
Representando a Direito Rio no evento, esteve presente a assistente acadêmica da Cátedra Jean Monnet, Gabriela Hühne Porto. Participaram ainda o cônsul-geral da Bélgica no Rio de Janeiro, Jean-Paul Charlier, o embaixador belga no Brasil, Dirk Loncke, a princesa Alix de Ligne, bem como os representantes da UBL, Marie-Soleil Frère (vice-reitora), Frédéric Louault (vice-decano da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais encarregado das relações internacionais) e Mario Telo (professor emérito da ULB e da Universidade LUISS, Roma).
O objetivo do evento foi de divulgar a criação da Cátedra Bélgica-Brasil, que é uma plataforma inédita para unificar os dois países, buscando o apoio tanto da sociedade acadêmica como da empresarial. Ainda que pontuada a característica inovadora do projeto, foi sinalizado o contexto histórico e tradicional de relações existentes entre os países, identificando a Bélgica como uma ponte entre a Europa e o Brasil e sinalizando o papel estratégico do Brasil nas relações entre a UE e o Mercosul. Também foram abordadas as questões geopolíticas atuais e os desafios que os sistemas tradicionais de integração vem enfrentando.
Nesse sentido, as atividades da dita proposta para aproximação da Bélgica com o Brasil incluiriam: intercâmbio de pesquisadores de excelência brasileiros e belgas de variadas áreas (Biologia, Química, Medicina, Ciência, Política, Sociologia, entre outras); investimentos em projetos de pesquisas de universidades brasileiras selecionadas; apoio e incentivo em projetos de jovens e promissores acadêmicos, além de a organização de eventos, conferências, colóquios culturais e científicos.
“O tom do evento foi de otimismo e altas expectativas para que o projeto promova a união de Bélgica e Brasil e, especificamente, traga resultados frutíferos como plataforma científica de excelência”, avaliou a professora Paula Wojcikiewicz Almeida.