FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Debate sobre jornalismo crítico e independente marca 62 anos da ENSP

A escolha pelo tema dos 30 anos da 8ª Conferência Nacional de Saúde para celebrar seus 62 anos de luta pela universalização da Saúde Pública no país foi fundamental para trazer para o debate a questão da comunicação, ou melhor, o papel do jornalismo crítico e independente na construção de uma proposta democrática de saúde. Unindo atores responsáveis pela construção de uma proposta de comunicação em saúde para o país, a mesa-redonda contou com a participação do pesquisador aposentado da ENSP, Álvaro Nascimento, e do editor-chefe do Programa Radis, Rogério Lannes. Coordenada pela pesquisadora do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), Janine Miranda Cardoso, a atividade reuniu não apenas o antigo, como também o atual editor-chefe da revista Radis – projeto mais longínquo de comunicação na área da saúde.

Álvaro Nascimento focou sua apresentação na forma em atuou na comunicação e informação em saúde, ou seja, na prática do jornalismo. Ele esteve à frente da Radis em seus primeiros passos. Segundo o jornalista, naquela época, o desafio era montar uma equipe com capacidade técnica e política de entender e traduzir, em linguagem acessível, as utopias e valores que embalavam a Reforma Sanitária brasileira.

“Como fazer jornalismo de dentro de uma empresa do estado, saindo de uma ditadura militar que durou mais de vinte anos, como produzir um jornalismo crítico?”, questionou ele. Álvaro citou, ainda, a necessidade de enfrentar as resistências internas e externas para dar voz à sociedade organizada no âmbito do SUS, além de superar as retaliações, que traziam como consequência, além do estigma, o desfinanciamento concreto.

Atual editor-chefe do Programa Radis, Rogério Lannes, lembrou o fato de que a mesa reuniu três pessoas que trabalharam juntas na década de 1980 no Programa Radis e seguiram sempre atuando em outros projetos de comunicação. Rogério pontuou, em sua apresentação, os últimos quinze da revista Radis. Segundo ele, as três últimas equipes que se sucederam tocando a Radisincorporam o ideário da Reforma Sanitária, um processo que não foi vivido por alguns deles, mas do qual se sentiram defensores desses princípios. “Nesse período de quinze anos da Radis, nós temos uma experiência diferente.”