FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Seminário gratuito reúne especialistas ingleses em preservação digital e indígenas do Alto Xingu

Organização internacional Factum Arte se une a comunidade indígena do Baixo Xingu para projeto de tecnologia e preservação cultural

Equipe internacional e indígenas promovem seminário sobre a experiência no dia 23 de maio, no Museu do Amanhã

Na tarde de terça-feira, dia 23 de maio, o Museu do Amanhã irá sediar o Seminário Xingu: Arte, Tecnologia e Preservação para celebrar a colaboração inédita entre artistas indígenas Kuikuros do Alto Xingu e artistas britânicos da Factum Foundation, fundação internacional líder na área de tecnologias digitais para preservação cultural e conservação de patrimônio artístico. O seminário gratuito irá apresentar os frutos da residência artística internacional que acontece entre os dias 8 e 18 de maio na aldeia Ipatse, no Território Indígena do Xingu, produzida pela People’s Palace Projects em parceria com a Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu. Esta é a primeira vez que a organização, internacionalmente reconhecida por seu trabalhos com alguns dos maiores artistas e museus do mundo, desembarca para um projeto no Brasil.

O diretor da Factum Foundation Adam Lowe e quatro especialistas em arte digital estão há dez dias na remota aldeia Ipatse, no Mato Grosso, onde habitam cerca de 300 indígenas Kuikuros, o povo com a maior população do Alto Xingu. Eles foram convidados pelo cineasta indígena Takumã Kuikuro, diretor do premiado filme As Hiper Mulheres, para um intercâmbio de tecnologias digitais que permitam ao povo Kuikuro criar mapas 3D de seus territórios e de aspectos culturais. Os especialistas da Factum Foundation levaram ao Xingu um dos mais avançados modelos de scanner 3D disponíveis e, junto aos artistas indígenas, estão realizando a digitalização de diversos aspectos culturais da comunidade como imagens, sons, grafismos, artefatos e arquitetura para uma criação artística inédita.

A Factum Foundation é uma organização artística britânica sediada em Madri que realiza ambiciosos projetos de conservação e preservação de patrimônios históricos mundiais através de tecnologias digitais 3D de ponta. No portfólio da Factum estão a preservação das tumbas do Vale dos Reis no Egito, incluindo a produção de um fac-símile da Tumba de Tutancâmon, e de diversas obras no Museu do Louvre, no British Museum, no Pergamon, no Museu do Prado, entre outros. A Factum também trabalha com os maiores nomes da arte contemporânea mundial, como Anish Kapoor e Marina Abramovich.

“Trazer artistas de calibre da Factum Foundation para uma colaboração com os artistas Kuikuros legitima a importância da produção artística indígena brasileira no mundo contemporâneo. Essa colaboração artística acontece em um momento crucial em que o país questiona o papel da cultura das comunidades indígenas no desenvolvimento econômico e social. A arte é uma ferramenta essencial de resistência e sustentabilidade desses povos frente aos desafios do terceiro milênio” diz Paul Heritage, diretor da People’s Palace Projects, centro de pesquisa britânico da Queen Mary University of London, que há 20 anos desenvolve projetos de arte para a justiça social no Brasil e no Reino Unido.

Além dos artistas da Factum Foundation, acompanha a residência Jerry Brotton, autor do livro Uma História do Mundo em Doze Mapas e professor de Estudos da Renascença da Queen Mary University of London. Ele está gravando com Takumã Kuikuro um documentário de rádio sobre a comunidade Kuikuro para a BBC World Service, que será disponibilizado online no segundo semestre. Jerry Brotton se juntará ao Antropólogo e ex-presidente da Funai Mércio Pereira Gomes para uma palestra sobre ‘Antropologia e a História dos Descobrimentos’ na Universidade Federal do Rio de Janeiro no dia 22 de maio.

O intercâmbio é uma realização da People’s Palace Projects, centro de pesquisa britânico da Queen Mary Universityof London, em parceria com a AIKAX, Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu, e financiado pelo Arts Humanities Research Council através do Newton Fund no Reino Unido, como parte extensão do financiamento Social Change through Creativity.


SERVIÇO:

Residência no Xingu
Comunidade Kuikuro, Aldeia Ipatse - MT
De 8 a 18 de maio de 2017

Palestra Antropologia e a História dos Descobrimentos
Com Jerry Brottom e Mercio Pereira Gomes
Data: 22 de Maio (segunda-feira)
Horário: Das 14h às 16h
Local: Anfiteatro Maria Irene (Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza da UFRJ)
Endereço: Avenida Athos da Silveira Ramos, 274 – Cidade Universitária / Ilha do Fundão – RJ
Evento gratuito (Não é necessário inscrição / entrada por ordem de chegada)
Sujeito a lotação

Seminário Xingu: arte, tecnologia e preservação
Com Adam Lowe, Takumã Kuikuro e Gringo Cardia
Data: 23 de Maio (terça-feira)
Horário: Das 14h às 16h
Local: Museu do Amanhã
Endereço: Praça Mauá, 1 – Centro - RJ
Capacidade: 50 lugares
Inscrições gratuitas: brenno@pppdobrasil.org.br



SOBRE A FACTUM ARTE

A FACTUM ARTE é organização com sede em Madrid que reúne um time de artistas, técnicos e conservadores para desenvolver projetos de criação artística e preservação de patrimônios históricos através das mais avançadas técnicas de digitalização e produção de facsimiles. A FACTUM trabalha com alguns dos principais artistas contemporâneos como Marina Abramovich e Anish Kapoor, e realiza diversos trabalhos de preservação digital junto a instituições como o Museu do Louvre, British Museum, Pergamon Museum, Museu do Prado, o Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, entre outros.


SOBRE TAKUMÃ KUIKURO

TAKUMÃ KUIKURO é um cineasta reconhecido internacionalmente, que cresceu e viveu toda sua vida na Aldeia Ipatse, Reserva Indígena do Xingu, no Mato Grosso. Com 18 anos, teve seu primeiro contato com o cinema, através do projeto Vídeo nas Aldeias - uma iniciativa que treina comunidades indígenas para documentar, através de filmagens, seus costumes e cultura - idealizado pelo antropólogo Vicente Carelli. A partir daí, filmar transformou-se em uma de suas grandes paixões. Foi através do Vídeo nas Aldeias que o diretor começou a aprender técnicas cinematográficas e a registrar a rotina da comunidade na aldeia, posteriormente transformada em documentários sobre a cultura indígena. Seus filmes passaram a circular em festivais internacionais e nacionais, e documentários dirigidos por ele, como As Hiper Mulheres e Kariokas foram premiados em diversos deles. Em 2015 Takumã participou de uma residência em Londres com a People’s Palace Projects, que resultou em um filme sobre a cidade de Londres através do olhar de um visitante indígena – Londres com uma Aldeia.http://www.peoplespalaceprojects.org.uk/en/projects/london-as-a-village/


SOBRE A PEOPLE’S PALACE PROJECTS

A People’s Palace Projects foi fundada em 1996, quando o acadêmico Paul Heritage iniciou seu trabalho na Queen Mary University, em Londres, organizando um novo Departamento de Teatro. Interessado nas diferentes formas com que a arte pode ser a resposta para amenizar problemas sociais urgentes, a visão que Paul tinha para a People’s Palace Projects foia poiada pela Queen Mary Universidade e incorporada ao Departamento de Teatro em 1998. A ONG sempre possuiu um foco internacional e um de seus primeiros projetos ocorreu em Burkina Fasso, no oeste da África, direcionado para problemas que afetam as áreas rurais do país, entre eles programas educacionais contra a epidemia de HIV na região. Trabalhando com parceiros locais, facilitadores foram treinados para desenvolver performances de Teatro Fórum com a população local. Essa iniciativa marcou o começo de um processo que ainda baliza o trabalho desenvolvido pela PPP ao longo dos anos, no Reino Unido e outros países.

A People’s Palace Projects passou os últimos vinte anos criando e discutindo a questão primordial de como a arte pode mudar a vida de indivíduos e comunidades, formando parcerias internacionais e locais com artistas, ativistas, acadêmicos e pessoas de diferentes extratos sociais.

Por mais de uma década, a ONG desenvolve trabalho em prisões brasileiras, buscando transformar agentes penitenciários em incentivadores de práticas em direitos humanos, ex-detentos em atores e um teatro de arena foi montado na Penitenciária Federal de Brasília.

De lá para cá, a PPP produziu uma ampla gama de iniciativas que tiveram impacto real nas vidas de comunidades brasileiras, incluindo negociações em acordos de cessar fogo entre grupos de traficantes rivais no Rio de Janeiro, até melhorias de infraestrutura em comunidades vulneráveis no Acre, noroeste do Brasil.

O trabalho desenvolvido ao longo dos anos recebeu reconhecimento de diferentes premiações e em 2010, a PPP se tornou a primeira e única organização a se tornar um Ponto de Cultura Internacional do Ministério da Cultura do Brasil. O diretor artístico, Paul Heritage, recebeu uma honraria do Governo Federal brasileiro pela contribuição internacional à cultura do país. Em 2004, ele foi agraciado com o 70th Anniversary Award do British Coucil e o prêmio ORILAXE de direitos humanos em 2005 pelo trabalho desenvolvido junto a PPP.