FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Fórum Europeu debate modelos alternativos de acesso à internet

O pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS) da Escola de Direito do Rio de Janeiro da FGV (Direito Rio), Luca Belli, participou do Fórum Europeu sobre Governança da Internet (EuroDIG), realizado nos dias 6 e 7 de junho, em Tallinn, na Estônia. Na ocasião, ele palestrou sobre redes comunitárias e modelos alternativos de acesso à Internet.
O EuroDIG foi promovido conjuntamente pelo Conselho da Europa e pelo Ministério das relações exteriores da Estônia. Belli palestrou junto com o Diretor dos Serviços para Banda Larga da Comissão Europeia (BCO), Jan Droege, a diretora da Associação das Operadoras Telefônicas Europeias (ETNO), Lise Fuhr, o Vice-ministro para o Desenvolvimento Sustentável da Georgia, Giorgi Dapkviashvili, e o Diretor da Small and Medium Telecom Operators' Association of Georgia, Ucha Seturi.
Belli destacou que, atualmente, quatro bilhões de pessoas no mundo ainda não estão conectadas à Internet. Segundo ele, parece evidente que o modelo tradicional de acesso à Internet tem limites e modelos alternativos precisam de ser experimentados.
“A conectividade comunitária representa uma verdadeira mudança de paradigma. As redes comunitárias são iniciativas bottom-up, no âmbito das quais grupos de indivíduos se organizam a fim de construir e manter a infraestrutura que proverá acesso pela comunidade local. Este tipo de iniciativa apresenta várias externalidades positivas: além de ampliar o acesso à informação, elas promovem a alfabetização digital das comunidades que as desenvolve, estimulando também a criação de novos serviços de comércio eletrônico ou de e-government até a criação de verdadeiros smart villages” destacou Belli.
A apresentação de Belli era baseada no livro Community Connectivity: Building the Internet from Scratch, uma coletânea sobre governança, regulação e estruturas técnicas das redes comunitárias. O livro, publicado pela Direito Rio, é um dos resultados oficiais do último Fórum da ONU sobre Governança da Internet. A integra do debate pode ser acessada no site.