FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

sábado, 6 de maio de 2017

Pré-lançamento do documentário “Baixada Nunca Se Rende”

O escritório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Rio de Janeiro e o Istituto Europeo di Design (IED) convidam correspondentes internacionais, jornalistas brasileiros e o corpo diplomático a participar do pré-lançamento do documentário “Baixada Nunca Se Rende”.
O filme, dirigido pelo italiano Christian Tragni e pela brasileira Juliana Spinola, mostra o potencial da música e das artes para a transformação da realidade da Baixada Fluminense, uma das regiões metropolitanas mais violentas do mundo.
Município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Foto: EBC



O escritório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Rio de Janeiro e o Istituto Europeo di Design (IED) convidam correspondentes internacionais, jornalistas brasileiros e o corpo diplomático a participar do pré-lançamento do documentário “Baixada Nunca Se Rende”.
O filme de 65 minutos, dirigido pelo italiano Christian Tragni e pela brasileira Juliana Spinola, mostra o potencial da música e das artes para transformação da realidade da Baixada Fluminense, uma das regiões metropolitanas mais violentas do mundo.
A obra conta a história do primeiro coletivo de artistas e músicos das periferias apoiado pela ONU, o “Baixada Nunca Se Rende”, que participa de um projeto pioneiro do PNUD com o objetivo de transformar o conceito do desenvolvimento sustentável em ações concretas, no nível local.
O projeto-piloto na Baixada servirá como base para o desenvolvimento de uma nova metodologia de engajamento cidadão para os escritórios do PNUD em 166 países em desenvolvimento, permitindo que a ONU utilize a música e as artes para trabalhar mais próximo dos cidadãos das periferias na implementação dos objetivos globais.
O documentário “Baixada Nunca Se Rende” será exibido em todos os países em desenvolvimento em que o PNUD opera e disponibilizado a veículos internacionais de notícias, tais como RAI Italia, Al Jazeera, BBC, AFP e CNN.
A cidade do Rio de Janeiro é o berço da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas – o plano de ação global composto por 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que foram ratificados pelos 193 países-membros no fim de 2015.
Nascida na Conferência Rio+20, realizada na capital fluminense em 2012, a agenda da ONU e os ODS representam um plano de ação para direcionar padrões de desenvolvimento rumo a um desenvolvimento sustentável e equitativo que beneficie todos.
Com o objetivo de não deixar ninguém para trás, a Agenda 2030 é um compromisso claro dos governos para abordar questões como exclusão e desigualdade que comprometem os avanços em desenvolvimento.

Música incentivando a ação por um futuro melhor

O documentário da ONU foi produzido em janeiro e fevereiro de 2017 em Belford Roxo, Nova Iguaçu e Duque de Caxias, algumas das 13 cidades que compõe a Baixada, na região metropolitana do Rio de Janeiro.
Quase 4 milhões de pessoas vivem na região — 2,5 milhões a menos que no Rio de Janeiro. Apesar de ter menos habitantes, a Baixada registra mais homicídios que a capital fluminense.
Com uma população oito vezes menor que a do Rio, Nova Iguaçu registrou mais homicídios do que a capital, atingindo a assombrosa cifra de 1.209 cidadãos assassinados em 2015.
Duque de Caxias, a maior cidade da Baixada com 886 mil habitantes, registrou uma taxa de homicídios por 100 mil habitantes quase duas vezes maior que o México ou o Haiti e dez vezes maior que os Estados Unidos.
Belford Roxo, uma cidade da Baixada com menos de meio milhão de habitantes, registrou 227 homicídios no ano passado. No mesmo ano, a cidade de Nova Iorque registrou 352, com uma população total de 8,5 milhões de pessoas.
O projeto-piloto das Nações Unidas com os músicos da Baixada está sendo implementado pelo Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável do PNUD (Centro RIO+), que foi estabelecido em 2013 no Rio como um legado da Conferência Rio+ 20. O Centro RIO+ é um dos seis centros globais do PNUD e fruto de uma parceria com governo brasileiro.
A implementação do projeto-piloto começou em junho de 2016 e já engajou mais de 150 músicos e bandas da Baixada. Algumas das ações desse projeto incluem oficinas sobre a Agenda 2030 e os ODS na Baixada, sessões de treinamento no PNUD no Rio, ensaios com a juventude, produção de um CD promocional com músicas inéditas sobre sustentabilidade e um grande show no icônico Teatro Odeon na Cinelândia.
O projeto está sendo implementado graças ao suporte de voluntários, incluindo voluntários da ONU da Alemanha e do Brasil, e o engajamento decisivo do Centro Cultural Donana em Belford Roxo, que sedia vários eventos na Baixada, incluindo ensaios e oficinas.

Serviço

Pré-lançamento do documentário “Baixada Nunca Se Rende”

Data: 9 de maio
Local: IED Rio. Avenida João Luiz Alves, 13 – Urca, Rio de Janeiro – RJ.
Horário: 18h-20h.

O evento será fechado ao público; o registro prévio é obrigatório e pode ser feito por meio do e-mail rio.mais@undp.org.

O lançamento do documentário acontecerá no dia 17 de maio no Cine Odeon, e será aberto ao público, sem custo de inscrição.
Trailer disponível no YouTube: http://bit.ly/2oV18KA